*^*

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

A Mentira



Como raposa ardilosa
no seu andar sutil
Surge a mentira
toda prosa
de que seu alvo atingiu
Na história criada
para a si mesmo enganar
Sua covardia sua cova
Quando por tão pouco
arrisca a confiança matar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário