*^*

domingo, 4 de julho de 2010

na trilha do louco



nua e cândida à beira da porta vazia..
sua mente vai adentrando seus espaços
vazios
cheios de um nada sedutor..
um nada gelado árido e fulgaz..
tão sólido que não me satisfaz.

a alma segue louca mente
o futuro se desfaz incandescente
o fogo brando desse inverno infinito
na alma calada
o grito.

sua veia se contorse...
me incendeia seu desejo retorcido..
mas a carga é pesada de mais
ou menos...
tanto faz..

você e eu, na roda do tempo
que será que virá desse vento?

Nenhum comentário:

Postar um comentário