*^*

terça-feira, 18 de agosto de 2009

O Universo


Esta é a última carta dos Arcanos Maiores. Ela fecha o círculo que se inicia com O Louco. A grande tarefa foi levada a seu termo, e retorna à inocência e engenhosidade do Louco. A gota desaparece no oceano, e o oceano derrama-se na gota. Esta conclusão é, ao mesmo tempo, um novo inicio num nivel mais elevado do ser. A meta final foi atingida - o retorno a Unidade cósmica original.
Agora você vê a si mesmo e ao mundo como realmente são. Todos os atavios e máscaras tornaram-se supérfluos e inúteis porque você está em conformidade com sua natureza original. Os limites do seu pequeno "EU" dissolvem-se em união orgásmica com o universo.
A mulher nua dança a dança da libertação. Através do olho de Hórus ela penetrou a natureza das limitações. Com essa percepção (simbolizada pela foice que segura na mão direita), ela rompe a trama que a aprisiona. Até a gigantesca serpente da transformação perdeu sua função. A energia foi transformada e uma nova qualidade existe. A serpente sobreviveu à sua utilidade; já não resta nada que a sua mordida venenosa possa destruir.
Os quatro querubins sopram o espirito que tudo penetra em todas as quatro direções. " Vê, tudo é novo!"

(in Tarô, Espelho da Alma, Gerd Ziegler)

2 comentários: