*^*

domingo, 5 de abril de 2009

cansaço...

Hoje acordei um pouquinho..
Dentro de você estava tudo o que eu queria
E você, cadê que não vinha..
Puxei da memória um instante de nós
Cadê que não vinha..
Parecia de mentira
Parecia que nunca tinha existido
E eu, cadê eu nessa hora...
Parecia de memória, puxei pela mentira
E eu, cadê que não vinha..
Dormi?


Por trás das cortinas insones de trabalhos noturnos
vi 10 gatos negros encolherem em canções infantis.

Medo não, apenas mistério...
Loucura, pode ser.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Da saudade...

*

Da saudade no peito só restou um feixe
que explode em silêncio,
que ecoa livremente.
Tocado é dor.
Se dor, é amor?

Se me calo escondo tudo que vem de mim
Tudo de mim pra você
Tudo de você pra mim

No teu rosto escolho um som
Deste som não há porque querer e sempre se sabe
Que na verdade a música dança sozinha.

É minha musa tua menina
Teus olhos me dizem coisas bonitas
Tua menina dos olhos me diz
Que eu menina sempre fui
Que teus olhos sempre quis
Tua menina dos olhos eu vi
Tua menina, teus olhos, eu quis

***

(2003, in Mensagens Inconscientes)

Como num sonho...

*

Como num sonho
Repleto de música e poesia
Faunos e ninfas
Um Sol brilhante por entre as árvores
Um desejo incontrolável de voltar
A sentir na pele todas as coisas boas
Por direito minhas
Danço cada vez mais
Giro num pouso de altas nuvens
Colho dos céus
Ar puro
Sinto próxima a chegada dos anjos
Vou ao futuro
Transo no escuro
Danço o presente
Corpo e mente
A alma se lança num chão de estrelas
Ao poço das memórias
Das crianças perdidas
Que dançam a fé
E correm sem medo
Para elas não existe passado
Não se lembram porque esqueceram o futuro
Só vivem o presente
Mas não dormem no escuro.

***

(2003, in Mensagens Inconscientes)