*^*

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Vésper

Agora deu no que deu
De repente os olhos teus
Me cercavam pelo ar
De um lindo dia
Manhã vazia
Qualquer manhã

Delírio apenas
Eu sei que Atenas
Não vai chegar

Manhã pequena
Noite pequena
Tempo a passar

E a madrugada
Que é coisa rara
Me faz sonhar
Que um belo dia
Nos olhos teus
Ei de alcançar

Aquele sonho
Aquele dia
Outro lugar.

***

(o primeiro poema que fiz na vida, 2002, ao acordar... havia lido Drummond no dia anterior, acordei com o sol... e versos brotando em minha cabeça, sem parar... então corri, peguei caneta e papel, daí então não mais quis parar... me apaixonei pela poesia.)

Um comentário:

  1. Se percibe la corriente fuerte de las emociones, tanto como la furia de los instintos. Muchos se pasan el tiempo destilando pensamientos haciendo rimas y construyendo sonetos... pero lo que realmente se siente es más importante... y eso se siente aquí... y digo que es importante, porque de ambas brota lo que imprime existencia: la Magia.
    Saludos,
    Verónica.

    ResponderExcluir